Método Pilates: do clássico ao modismo.

O Método Pilates tem origem na própria história de vida do seu fundador, Joseph
Hubertus Pilates. Um alemão que despertou interesse por atividades físicas e desenvolveu o método para seu próprio condicionamento físico. O método Pilates começa a ser reconhecido após a treino de prisioneiros de guerra em um campo de concentração no qual Joseph ficou preso durante a Primeira Guerra Mundial.

                Joseph foi exilado em um campo de concentração e aproveitou para fazer suas primeiras experiências em seus companheiros, retirava as molas das camas e utilizava seus exercícios para trabalhar a resistência muscular e de seus companheiros e o resultado foi incrível: nenhum dos prisioneiros que fizeram parte do seu treinamento se contagiou com uma epidemia de  gripe, que matou milhares de outros colegas internos naquela época.

                Mais tarde Joseph vai pra Nova York e aprimora a técnica que hoje chamamos de Pilates, trabalhando a reabilitação e condicionamento físico de bailarinos de maneira nunca antes visto, a partir daí ele desenvolveu os primeiros aparelhos, descreveu os princípios e fundamentos do método que hoje  é conhecido em todo lugar do mundo.

                Nos dias atuais o que podemos perceber, no entanto, é uma deturpação desses princípios que foram deixados pelo nosso mestre. Instrutores ignoram os ensinamentos e vendem um Pilates sem os princípios básicos por simples modismo. Nas redes sociais são compartilhados vídeos de exercícios sem respeitar os fundamentos da técnica e que são curtidos por milhares de seguidores. A essência da técnica esta sendo deixada de lado e isso traz sérios riscos para o praticante e banaliza um método tão completo de condicionamento físico.

                O método é um treinamento corporal que abrange força e alongamento de vários grupos musculares. Para isso é necessário concentração e consciência corporal atingida através de uma respiração específica, na qual todo o ar inspirado é colocado para fora no momento de execução da força. O maior diferencial do método consiste na organização corporal a partir do alinhamento postural adequado atingido através de comandos verbais e manuais que o instrutor aplica nos alunos/pacientes durante as aulas/sessões. A musculatura estabilizadora é acionada e isso ativa a estabilização corporal, evitando lesões causadas pelo uso inadequado de determinado grupo muscular, tanto nas atividade diárias quanto na prática de algum esporte.

                Joseph tinha uma visão holística do corpo, por isso os exercícios descritos trabalham o corpo de uma maneira global, não segmentando os vários grupos musculares. No entanto hoje temos acesso à instrutores que insistem em realizar treinos que isolam determinada musculatura, perdendo mais uma vez a essência do método. Percebemos uma criação de exercícios e posturas que estão longe de ser a pratica correta do Pilates e isso afasta a obtenção dos resultados incríveis que o método pode trazer para o praticante.

                Em um mundo tão globalizado e de fácil acesso à informação, nós instrutores de Pilates temos que nos policiar e buscar sempre se espelhar e difundir o que é clássico e que tem fundamento, para não cairmos nos modismos passageiros que surgem por ai. Já o praticante, precisa ficar atento para não comprar “gato por lebre”…

 

Tamine Abdalla Àvila

Fisioterapeuta

Osteopata

Pós-graduada em Fisioterapia Trauma-Ortopédica

Especialista no Método Pilates Clássico e Científico  pela Fisiociência – SP

Certificada no Pilates Leader Programme 2012 e 2013

Certificada no métido Sling Trainning pela ISST (International Society of Sling Trainning)